quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Saudade

Um lago, arvores verdes, esguias, altas, dançavam com o vento, folhas secas pelo chão, ventania, fim de tarde, por do sol, laranja, amarelo, vermelho, violeta, azul, marrom, branco, luz, clarão, o reflexo na água. Os olhos assustados, sondando e espreitando a imagem ali refletida, pele castigada, rugas, as mãos caminham para o toque da pele, realmente são franzidos, ausência de colágeno, olheiras, escuridão, cansaço, a raiz do cabelo embranquecendo, outrora era diferente, não sentia o estilhaçar de seus poros, nem o esticar de sua epiderme.
O ritmo, o pulso, seguimento, um uníssono, coração atrelado,cerrou os olhos e suspirou. 
Ouvia o som da chuva, as gotículas d'água, batendo na vidraça, a televisão, o ventilador de teto, as risadas, talheres, cheiro de rotina, do trivial, de sugo, latidos, ali deitado, direciona suas pernas ao encontro do assoalho, "tacos", leve sorriso, o som, um som, perturbador, desligar, silenciar a pertubação, radio relógio, a luz vermelha que pisca ao despertar das horas, um alarme de vida. 
" Devias vir para ver os meus olhos tristonhos...", Cartola, ouço as Rosas, hoje elas falam, falam como se o "Mundo inteiro me pudesse ouvir..." apenas um Tim. A sala, o radio, as cortinas a balançar com o vento, felicidade resumiria esses sons, esses cheiro, gostos, imagens, toques. Lágrimas, será que chorar envelhece?
Só uma lembrança, de volta as rugas, os cabelos brancos, as saudades, parece que não tenho mais nada vivo dentro de mim, o sol se pondo, minha face desconhecida, solidão, mas porque só consigo me lembrar disto, eu vivi ate aqui e não tenho mais nenhuma lembrança, amnésia. Minha imagem vai escurecendo, já desconheço essa nova imagem, não há um reflexo conhecido, o vento cessou, as arvores são pretas, o sol se foi, preto breu, escuridão, fecho os olhos, novamente o som uníssono. De olhos fechados, recosto minha cabeça no acolchoado de grama, sinto uma mão em meus ombros, uma pele macia, abro os olhos, um sorriso iluminado, me irradia, pego em suas mãos, lembrança,  agora sei que estou vivo. 

2 comentários:

Jessica Gonçalves disse...

Saudade, um sentimento gritante dentro do coração..

Giovana Henn disse...

Aquele apelo que se tem no peito, a ânsia de retroceder, a necessidade de recordar... A isso damos o nome de Saudade.